Por que você não arruma namorado? (Por Fabrício Carpinejar)

Por que você não arruma namorado? (Por Fabrício Carpinejar)

aa

Você não entende como não começa um relacionamento, como não se apaixona novamente, como não muda de vida. Reclama da ausência de opções. É bonita, inteligente, divertida.
Minha hipótese é que não abandonou o passado. Mantém flertes com o ex indiferente, ou continua saindo com sujeito que jamais assumirá o romance. Raciocina que, enquanto não vem o escolhido, o príncipe, pode se entreter com velhas paixões. Mas todos pressentem quando uma mulher está enrolada, todos intuem o caso mal resolvido, e não se aproximam.
Não virá ninguém para espantar os corvos e dissolver essa atmosfera pesada de Prometeu. É trabalho em vão soterrar o precipício. Mulher desinteressada é impossível. Ninguém ousará quebrar o monopólio de sua dor.
Você cheira a encrenca, cheira fidelidade a um terceiro. Seus ouvidos estão lentos, sua boca paira em distante lugar, seus olhos se distraem seguidamente. Não tem brilho na pele, porém tensão nos ombros. Sua respiração é um poço de suspiros.
Vive ansiosa por notícias, por reatos, mensagens. Não presta atenção, não se entrega para as casualidades. Quem enxerga fantasmas não vê os vivos.
Não dá para começar um novo amor sem abandonar os anteriores. Errada a regra que a gente somente esquece um amor antigo por um novo.
Está com o corpo fechado, costurado, mentindo que já não sofre mais com as cicatrizes. Espera herança, não sai para trabalhar ternuras. Mendiga retornos, não cria memória. Sua nudez não responde ao pedido da curva. Nem balança com a música favorita. Está tomada do carma, do veneno, do ressentimento. Pensa que está bem, mas está em luto. Uma mulher em luto não permite arrebatamentos, afasta-se na primeira gentileza que receber, recusa a prosperidade das pálpebras piscando nos bares e restaurantes.
Você nunca vai encontrar seu namoro, seu casamento, sua paz, se não terminar de se arrepender. É preciso guardar o máximo de ar, ir ao fundo, descer na tristeza e nadar para longe dela. Não amará outro alguém sem solucionar pendências, sem recusar o homem que não a merece, o homem que não vai embora e tampouco fica. Não amará outro alguém sem abandonar algumas horas de alívio em motéis. Não amará outro alguém se não bloquear as recaídas, se insistir em ressuscitar as promessas.
Uma mulher nunca será inteira se mantém romances quebrados. Nunca estará presente. Nunca estará aqui.
Entenda, minha amiga, só ama quem está disposta a ser amada.

(Publicado no jornal Zero Hora)

Do bom ao ruim

Do bom ao ruim

Imagem

Quando você vai à padaria e te dão o troco errado e você volta para acertar, quando alguém deixa algo cair no chão e você avisa, quando você segura a porta do elevador ou dá bom dia ao zelador, quando você mira errado o papel no lixo e pega de novo, quando você para o carro para os pedestres atravessarem,quando você dá seu lugar a um idoso no ônibus.

Você não é uma boa pessoa, nem está fazendo um favor a sociedade. Lamento lhe informar, mas essa é apenas sua obrigação. Com tantas coisas ruim acontecendo, pessoas roubando e matando e outras na correria do dia esquecendo a educação em casa, num mundo que cada vez está pior… ser gentil e honesto são características dignas de um destaque no currículo. E é ai que você se engana, meu amigo. Você pode se orgulhar das suas qualidades e dizer “olha, como sou legal”, mas não se esqueça você só está cumprindo seu dever de cidadão.

Pensamento solto

Pensamento solto

 

Talvez eu não seja namorável, quem sabe sou facilmente substituível. 
Nesse momento enquanto escrevo, alguém está vivendo feliz sem mim.
Mas não me desespero. 
Sei que em algum lugar, agora, ocupo a mente de outrem.

Tudo passa

Tudo passa

Imagem

De vez em quando ficamos tristes, cheio de magoa com a vida e nada faz sentido.
O conselho que mais ouvimos é “Isso é fase, vai passar” e passa, e volta e passa de novo.

Acredite, aquele seu dia de bad hair só vai durar hoje, o coração partido vai ser tratado pelos esparadrapos da vida e assim seguimos.

Há uns dias estava na fase “ninguém me ama, ninguém me quer”. Eu já estava ficando preocupada porque minha dor de cotovelo já durava mais que o normal. Já tinha me lamentado com amigos, mãe, cachorro e até com o vizinho no elevador. Coloquei a culpa do mundo em mim, achei que as decisões dos outros eram exclusivamente minha.

Fiquei pensando em como mudar meu jeito e em como ajeitar tudo que podia. Nesses 2 meses só perdi 60 dias e várias horas de sono em lágrimas. No final, não encontrei a solução do mundo, mas a minha.

A partir de agora, deixo expresso nesse blog, para que todos (os poucos que lêem) saibam que eu passei da fase ruim e entrei para o grupo de pessoas que dizem “isso é fase, vai passar”. Quero dizer que eu vou deixar as coisas acontecerem ao seu modo, só tomarei as minhas dores e a culpa do mundo deixo para ele. Para os mais diretos digo que “liguei o foda-se para tudo que me incomodava” e serei a Luíza que sou, do jeito que quero. Talvez eu continue sofrendo por amor a cada erro, mas sendo feliz e dando risada de tudo que sinto.