Prefiro uma overdose de amor a um amor mais ou menos

Prefiro uma overdose de amor a um amor mais ou menos

Ainda criarei uma teoria que as coisas que eu sinto e não consigo passar para o papel é transmitido para alguém no mundo, em qualquer lugar do planeta e essa pessoa escreverá um texto falando exatamente aquilo que não consegui. 
Calma, não estou enlouquecendo (ainda). É que passeando pelos blogs da vida encontrei um texto que define exatamente o que sempre senti e tentei demonstrar. 

casal-feliz

Eu não espero que você me entenda.

Toda essa loucura de guardar sentimentos que não conseguimos nomear é por demais complicada. Esse monstro enorme que esmaga meu peito quando olho sem pretensão através da janela e constato que o mundo apenas continua rodando. Deveria ser simples. O mundo acontece. Nós acontecemos. Em meio a circunstâncias insanas e inexplicáveis, nós simplesmente acontecemos. Tem tudo pra ser simples.  Mas não é.

Mesmo que você não fique, obrigada por voltar. Ainda que você não me procure mais, que não me ligue no dia seguinte. Ainda que você foda minha vida e me faça sofrer feito louca, obrigada por fazer com que cada milímetro do meu corpo se manifeste em sensações incompreensíveis e maravilhosas. É bem verdade que já fazia algum tempo que ninguém arrancava de mim alguns sorrisos sinceros.

Eu vou finalmente andar por aí com o peito cheio de novo. Se de tristeza ou de amor, isso eu não sei. Talvez um pouco dos dois. O mais importante é que eu vou voltar a achar que o céu é a metáfora mais linda que existe no mundo. Vou imaginar as histórias felizes e inusitadas que existem por detrás dos rostos que eu trombar na rua. Vou sorrir para crianças correndo e gritando, para carros passando em alta velocidade em poças de água e cachorros com as patas sujas pulando no meu jeans. Amar alguém não é só amar alguém. É amar o universo e tudo o que ele tem de feio e sem graça. É sentir a dor do mundo inteiro dentro do peito e achar simplesmente encantador. O amor é mais louco do que a própria loucura.

Não amar alguém para mim é estar na Sibéria. É permanecer nua em meio às calotas polares. No calor cáustico do mais quente deserto e sem água. Por isso, eu entendo se você sair correndo, com medo da extravagância de amor que eu sou quando amo alguém. Eu extrapolo limites aceitáveis e fantasio céus de inferno. Eu não sei mesmo amar um pouquinho, com doses controladas, desejar com conta-gotas. Eu sou uma piscina de exagero, e tem muita gente que acha que não vale a pena pular. Se não quiser pular, eu te perdoo. Você tem que ter certeza de que quer nadar, para não achar ruim comigo caso se afogue. Não se preocupa em ir embora. Você vai viver sua vida, e ela vai ser bonita mesmo longe de mim. Você nasceu para ter uma vida bonita com qualquer pessoa. Eu vou ficar tristíssima por algum tempo. Vou chorar ouvindo Alcione e me arrastar por azulejos gelados, arranhando meus joelhos, olhos inchados. Só não te culpa, porque é por isso que eu vivo. Para sentir coisas imensas, incontroláveis, sentir meu peito inchado, ainda que seja de tristeza. Eu prefiro quase morrer de uma overdose de sentimentos complexos do que viver pra sempre no mais ou menos.

Hoje eu vou te pedir pra ficar. Com toda a sinceridade que existe no meu coração: eu quero que você se torne minha casa. Mas se mesmo assim o seu coração deseja ir embora, não pense duas vezes. Não acho que seja mesmo fácil me estancar. Se aquieta, porque eu não vou enlouquecer, eu tenho minhas causas, minhas transas, minhas lutas, meus projetos interrompidos. Eu tenho uma vida fora da vida que eu queria ter com você. Tenho amigos hilários, cervejas geladas e cinzeiros cheios. Eles dão conta da minha inconstância, de alguma forma inexplicável.

Então, se você não consegue ficar, pode ir despreocupado. Saiba: você vai ser pra sempre um capítulo especial da minha história. Vou esquecer a sua existência por algum tempo, para então, numa tarde tediosa de domingo eu te lembrar e te ler inteiro, fixando a minha atenção nas tuas partes confusas, nos teus momentos brilhantes, nas linhas mal escritas pela urgência do nosso desejo.

Você é maravilhoso, nunca duvide. Se a minha piscina te assusta, alguma te fará mergulhar e nadar feliz.

E eu? Bem, eu continuo aqui, no meu rumo para ser oceano.

(Monique Bertto)
Originalmente publicada no blog Casal Sem Vergonha.

Tempo

Tempo

tempo

Engraçado como você me povoa.
Do inicio ao fim do dia você ocupa meus pensamentos.
Jurei que nunca lhe contaria, mas também jurei que não sentiria.
Agora estou aqui, escrevendo sobre você enquanto penso em nós.
Em tudo que viveríamos,  tudo que sonharíamos.
Mas, continuo aqui tentando lhe dizer o que você nunca quis escutar.
Aquelas promessas tão minhas
jogadas fora junto com o recibo do buquê de flores que nunca recebi.

Um amor maior que eu

Um amor maior que eu

112

Ela tinha amor pra dar, vender, doar e ainda guardar pra posteridade. Seu amor era tanto que não conseguia prende-lo no coração. Ele aparecia no brilho do olhar, no sorriso tímido em um encontro a dois, no silencio.
Mas o momento que todo aquele amor se soltava e voava pelo mundo afora era nos seus textos, naquele bloquinho de anotação dentro da bolsa, na tela do computador em um domingo nublado.  O seu amor era tão bonito e simples que algumas vezes era escrito com melancolia e outras com a certeza de um futuro bom.
Os sentimentos puros daquela pseudo escritora queriam encontrar um nobre coração, que aceitasse toda aquela confusão e pudesse sentir o mesmo que ela.
E enquanto aquele que transbordará seu coração não chega ela continua a escrever ao mundo tudo que sente.

Encontro a dois

Encontro a dois

Imagem

Era um belo sábado, que teve um sol morno em um dia de temperatura amena. Precisamente, um daqueles dias que acordamos imaginando ser um dia perfeito. E realmente estava sendo.

Depois de tanto tempo recusando encontros decidi sair com um rapaz que tinha os olhos mais lindos que eu já vi. Estou neste exato momento esperando-o me buscar num simples carro, um antigo Gol 92, prata, mas não faria diferença se fosse a pé ou de ônibus.

Difícil foi escolher qual roupa usar, queria agradá-lo, mas estava com medo de me vestir muito séria e acanhá-lo ou não estar ao estilo dele. Optei pelo simples, coloquei um vestido creme com pequenas flores espalhadas por ele e uma sandália  Apesar disso, passei aquele perfume guardado que eu não usava há meses!

Ele chegou e mandou um SMS me avisando. Demorei cinco minutos para sair. Após abrir a porta, a primeira coisa que notei foi aquele sorriso! Estaria ele tão feliz quanto eu por aquele encontro? Ele está com uma camisa polo azul claro e uma bermuda cargo na cor marrom claro. Lindo! Acho que ele sabia que eu gostava de homens  vestidos assim.

Um pouco tímidos, fomos no carro até um restaurante, um daqueles no estilo outback, gosto muito desse tipo de ambiente. Entramos e escolhemos um lugar próximo à janela, para sentir a brisa fresca da noite. Ao nosso lado havia um grupo de amigos comemorando um aniversário e muitos risos e frases altas saíam daquela mesa. Sorrimos, era engraçado. Era aquele mesmo nosso lugar!

Sentamos e pedimos uma bebida. Ele evita álcool quando está com o carro e pediu um suco de laranja. Eu, para acompanha-lo, decidi que não tomaria álcool essa noite e pedi um suco de morango. Assim que se foi o garçom, tentei disfarçar meu nervosismo brincando com o canudo do copo e minha franja que nunca para quieta caiu nos meus olhos e não sabia como ajeita-la sem ele perceber, mas quando consegui percebi que ele sorria e me olhava fixamente. Meu nervosismo foi a mil, mas no fundo estava gostando!

Resolvi começar a falar e ele reparava em todas as minhas ações. Continuei nervosa e não consegui parar de gesticular e falar ainda mais, às vezes eu atropelava e confundia palavras. Mesmo assim,  ele continuava prestando atenção nas minhas histórias malucas e muitos sorrisos surgiram durante a conversa.

Decidimos fazer nosso pedido, a fome já nos alcançara neste momento. Enquanto olhávamos o cardápio, eu contei aquela história velha do dia que fiz uma lasanha para uns amigos e deixei tudo queimar e ainda por cima, salguei demais, o que me fez pedir uma pizza. Que bobeira! Ele ainda riu bastante disso e no final sugeriu que pedíssemos a própria lasanha, de quatro queijos, como se fosse para compensar a lasanha que queimei.

O pedido demorou e conversamos muito. Ele me falou sobre os assuntos nerds que estava habituado, como estrelas, planetas e buracos negros e também sobre um jogo que tem uma bela história de amor que até o fez chorar. Pra variar, falei ainda mais, sobre o estágio que estou fazendo, sobre a propaganda que não para de passar na TV,  sobre comidas … Mas não tive coragem de contar como o achava bonito aquela noite!

Nosso pedido veio e tentei ao máximo não me lambuzar com a comida, sujar as roupas ou pagar qualquer mico ao comer. As vezes ele me olhava e eu tentava ainda mais deixar as coisas parecerem naturais.

Por fim, finalizamos e fechamos a conta. Saímos e fomos andando até o carro, que ele teve que estacionar a três quadras do restaurante por falta de vagas. No caminho acabamos rindo de uma mulher que tropeçou do outro lado da rua, quase caiu e disfarçou. Mas nós vimos!

Continuamos andando e eu, sem conseguir olha-lo, finalmente fiquei em silêncio. Ele me perguntou o porquê, e disse que não sabia onde aquilo iria dar, nem o que fazer. Eu estava com medo…

E naquele mesmo instante ele me tomou pelo rosto com as duas mãos e me beijou de surpresa. Eu aceitei e ficamos em um beijo intenso por alguns minutos. O coração acelerado, um abraço caloroso, os lábios quentes em contato… Ao fim, ficamos sem graça.

Ele me levou para casa, continuei meio sem graça pelo beijo, parecia um sonho, e outra vez, estávamos em silêncio no carro.

Descemos do carro e nos despedimos com um abraço muito intenso. Então ele me disse “Não quero perdê-la…”.

E a única frase que consegui dizer foi “Nem eu…”.

As mesmas perguntas, as minhas respostas

As mesmas perguntas, as minhas respostas

tumblr

Almas gêmeas em mundos distantes?
Suas horas passam mais depressa que as minhas, mas meus dias são mais curtos.
Nos completamos em tudo?
Já sofremos por amor, mas ainda temos o mundo.
A distância nos atrapalha?
Tenho ao meu lado pessoas que mal sinto a presença.
Poderíamos ser felizes juntos?
No momento que você parou para se perguntar, você já sabe que é feliz, você quer continuar essa felicidade.
Será que é destino?
Não foi atoa que nos conhecemos, mas a partir de agora nossas decisões não dependem dos astros, mas de nós.
O que acontecerá no final?
Não queira perder o durante preocupado com isso. Ele já está passando enquanto escrevo.
E qual é a solução?
Aproveite, viva, sinta e acima de tudo pare de perguntas e sonhe!

Me vou

Me vou

O amor me encontrou, naquela terça-feira de inverno em Itapuã.
O amor me encontrou, entre o passo da bailarina e a canção no elevador.
O amor me capturou, me levou depressa pra casa
Me afugentou, me conquistou, me mostrou as cartas de 2007, as lagrimas da semana passada e me falou:
Pobre menina, me encontrou a tanto tempo, mas só agora me notou.